O ex-libris do jardim botânico de Praga é a estufa
‘Fada Morgana’, de construção recente, aberta ao público em 2004, onde podemos
admirar várias plantas, inseridas nos diferentes biótopos aí representados.

A estufa tem 130 metros de
comprimento, 17 metros de largura e tem 11 metros de altura interior. Está
inserida numa encosta e tem a forma de S ocupando uma superfície total de 1750
m2 com mais de 200m em caminhos e miradouros interiores. Está dividida em três
grandes zonas ou biótopos: uma zona semidesértica, com plantas africanas, de
Madagáscar, do México e da Austrália, uma zona de floresta tropical húmida com
plantas oriundas da América Central e do Sul, Austrália e ilhas do Pacífico,
Vietname e ilhas de Sonda e Filipinas. E existe ainda uma terceira zona,
tropical montanhosa, com plantas africanas, americanas, asiáticas e muitas
plantas carnívoras da Venezuela.  É na
zona tropical húmida, a mais extensa, que encontramos as orquídeas. Se nos
alhearmos um pouco e esquecermos as vigas em arco que suportam as placas de poli-carbonato da estufa, podemos imaginar que estamos numa verdadeira floresta tropical. As gravações de cantos de aves e o som da água a cair da cascata
ajudam a criar o ambiente.