Este ano, quando estive em Inglaterra e visitei pela segunda vez o jardim de Sissinghurst, pertencente a Harold Nicolson e a Vita Sackville-West, ambos já falecidos, comprei este pequeno livro numa feira por ser um bonito livro e por ser da autoria  da proprietária do jardim onde eu tinha estado dias antes.
Eu já sabia que Vita Sackville-West tinha sido uma famosa escritora inglesa e que tanto escreveu romances como poesia e também artigos de jardinagem no jornal ‘Observer’. O que eu não sabia era que este pequeno livro sobre flores era uma obra de tão grande beleza.
A escritora refere no prefácio que é muito difícil escrever sobre flores e que só descobriu esta verdade quando tentou escrever sobre flores pela primeira vez. E este livro, onde escolhe vinte e cinco flores para retratar com as suas palavras, foram os seus primeiros passos na escrita sobre jardinagem. A escritora publicou depois mais alguns livros sobre o mesmo tema e três volumes com os seus artigos do ‘Observer’.
E o que torna este livro tão bonito são mesmo as palavras de Vita Sackville-West. Cuidadosamente escolhidas, com muito bom gosto e numa narrativa quase poética, a autora fala-nos sobre estas flores por ela escolhidas, pela simples razão de que, como ela própria as caracteriza, são flores que os pintores deveriam ter prazer em pintar.
E este livro, editado inicialmente em 1937 com fotografias a preto e branco, foi lançado numa nova edição em 1993, mas desta vez ilustrado com 27 gravuras do aguarelista Graham Rust. É esta edição que tenho e que aconselho vivamente a quem goste de uma bonita leitura sobre ‘Algumas Flores’.