De novo em floração no final de Novembro, a tempo de ir à Exposição de Oeiras e ganhar o 2º prémio na secção das orquídeas miniatura.

Mas no Inverno passado houve um acidente. Esta placa de cortiça, onde estavam duas plantas, perdeu um dos seus exemplares, o maior, porque foi regado no Inverno e com o frio, congelou e apodreceu. Ficou este exemplar mais pequeno. Espero encontrar outro para repor no lugar do que perdi. Adora uma Sophronitis cernua flava mas os preços estão um pouco exagerados.

Assim, espero que apareça um bom exemplar e este ano quando a regar, coloco-a na estufa ou em casa para a proteger do frio. Há que aprender com os erros…

O nome actualizado desta orquídea é agora Cattleya cernua mas ainda lhe continuo a chamar pelo nome antigo. São orquídeas originárias da América do Sul e podem ser cultivadas a temperaturas baixas, logo, onde eu vivo, no exterior o ano todo.