Alguém me perguntou «Como é que eu vejo as orquídeas portuguesas?».
Eu respondo que é difícil. É preciso procurar e saber o que se procura.
Por exemplo, no último passeio pela Serra de Santo António, o habitat com que me deparei foi este.
Vegetação rasteira e muitas pedras. No entanto não era árido pois via-se bastante humidade no muros de pedra que ladeavam os caminhos e os socalcos. É um local onde se encontram facilmente pastores com os seus rebanhos de ovelhas e cabras. Muitas das orquídeas mais acessíveis são pastadas pelo gado.

Depois o tamanho. A maior parte das orquídeas são mínimas. Muito pequeninas mesmo.

Estão a ver? Não parecem muito interessantes, pois não? Mas depois de tirada a foto e já em casa, no computador, reparamos em pormenores que lhe dão uma beleza extraordinária.

Deixo-vos mais um exemplo de uma das minhas favoritas, já em foto aumentada.