É interessante observar como o ser humano gosta sempre do que é diferente e exótico, muitas vezes dando pouco valor ao que é local.

Lembro-me de quando visitei o Panamá e, para minha surpresa, o que me foram logo mostrar, num orquidário local, foram os – comuns para mim – Dendrobium phalaenopsis. Aquelas eram as raridades exóticas ali. Eu eu queria ver as espécies endémicas e locais.

Nesta minha recente viagem a Madagáscar aconteceu uma situação parecida. No jardim do Hotel Centrest Séjour, em pleno Parque Nacional Ranomafana, uma floresta chuvosa tropical, as orquídeas que estavam, lindas, a florir nos bonitos jardins eram maioritariamente espécies oriundas da América do Sul e da Ásia.

Aqui ficam algumas fotos:

As bonitas Arachnis, originárias da Ásia, estavam muito floridas e no jardim do hotel haviam várias moitas espectaculares.

Bonitas sebes de Arundina, outra espécie asiática.

Agarradinho ao tronco de uma árvore, um Dendrobium nobile, outra espécie asiática.

Dendrobium nobile

Talvez uma das espécies mais introduzidas em Madagáscar e presente em muitos jardins. Estes Epidendrum são originários da América do Sul.

Talvez uma Cattleya aurantiaca ou um híbrido, crescia feliz e contente na mesma árvore onde estava o Dendrobium nobile.

Uma das poucas espécies originárias de Madagáscar presentes no jardim deste hotel era este Angraecum eburneum que já estava no final da floração e tinha até uma rechonchuda cápsula de sementes (um fruto).