“Ao chegar-mos ao cais, a primeira coisa que vimos foram… orquídeas. Plantas enormes e cheias de flores!”

Na minha viagem a Madagáscar, um dos locais mais bonitos onde ficamos foi nas ilhas Akanin’ny Nofy, que quer dizer “O Ninho dos Sonhos”, no lago Ampitake.

Mas até lá chegarmos foi uma autêntica epopeia. Primeiro o grupo de 37 pessoas estava dividido em dois mini-autocarros onde fizemos grande parte da viagem por terra, entretanto a um certo ponto mudámos para uns jipes todo-o-terreno porque a estrada de terra batida cheia de curvas e buracos enormes não podia ser feita nos autocarros. Foi como andar num daqueles divertimentos das feiras populares em que se anda aos saltos e de um lado para o outro, durante quase uma hora. Deixámos os jipes muito aliviados por termos finalmente chegados ao nosso destino – Manambato – onde nos esperavam dois barcos. Durante uma hora atravessamos o lago Rasoabe e o canal Pangalanes, com paisagens fantásticas, até ao nosso “Ninho dos Sonhos”, neste caso os Eco-Lodge Palmarium e Eco-lodge Bush House.

Fiquei no Eco-lodge Bush House onde ficamos muito perto da natureza, numa bonita ilha muito verde. As nossas cabanas tinham alguns buracos mas era engraçado espreitar as estrelas e ver os Gecos a caçar as traças enquanto estávamos deitados e “protegidos” por redes que cobriam as camas.

Mas a maior surpresa foi logo à chegada. O barco parou na praia de areia branca e águas mornas. Saímos pelo pontão de madeira e logo na praia, a dar-nos as boas vindas estavam uns bonitos exemplares de Angraecum sesquipedale Angraecum eburneum. Lindos e muito perfumados ao entardecer.

Angraecum sesquipedale

A caminho da nossa cabana estavam outras orquídeas. Mais Angraecum sesquipedale, a Orquídea-estrela ou Orquídea de Darwin e com algumas cápsulas de sementes (frutos). Infelizmente não consegui ver quem eram os polinizadores que ali polinizavam as bonitas flores brancas que brilhavam de noite ao luar.

Junto ao restaurante, numa Árvore-do-Viajante, uma enorme baunilha Vanilla planifolia trepava pelo tronco acima e numa outra àrvore, uma orquídea que não consegui identificar. (Talvez seja uma Oeoniella polystachys).

E assim, este foi um dos locais mais bonitos que vi em Madagáscar. Uma bonita praia junto a uma lago de águas mornas e onde, alguns passos depois, entravamos na floresta. Ao anoitecer os Lémures do Bambu vinham visitar os hospedes junto ao restaurante e de manhã ouvíamos os Lémures Indri Indri com os seus chamamentos na floresta próxima. E por todo o lado, orquídeas. Até na praia.